Expandir o seu negócio e colocar novas ideias em prática são realidades que fazem parte do cotidiano de muito empreendedores. Porém, muitas vezes os projetos precisam ser deixados de lado ou adiados devido à falta de dinheiro para realizar esses investimentos.

Diante disso, existem algumas soluções que podem ajudar as empresas a conseguir os valores necessários para tirar os seus projetos do papel. Para detalhar mais essas possibilidades, listamos algumas maneiras de conseguir capital para empresas. Continue com a leitura e confira:

1. Investimento com a família

É comum ver empresários que contaram com ajuda da família para injetar dinheiro em seus negócios. Essa é uma prática que ajuda a se livrar da burocracia de tirar empréstimos bancários, por exemplo.

Tendo como base a confiança existente nessa relação familiar, contar com esse tipo de auxílio pode ser uma opção bem interessante e uma maneira mais simples para conseguir o tão sonhado investimento. No entanto, ainda que seja algo realizado entre família, é essencial criar um contrato para formalizar a situação.

2. Capital próprio

Essa é uma maneira interessante de conseguir expandir o negócio ou simplesmente tirá-lo do papel sem correr o risco de realizar essa tarefa com dívidas referentes ao investimento.

Seja para um novo empreendedor ou para quem já empreende, fazer uma economia mensal visando os projetos empresariais do futuro pode ser uma excelente solução para conseguir capital sem depender de terceiros.

3. Investidor-anjo

Especialmente voltado a negócios inovadores e que tenham grandes chances de serem diferenciais no mercado, o investimento-anjo parte de apoiadores que já têm a expertise na área e decidem apoiar novos projetos.

Vale lembrar que, normalmente, esse tipo de investimento precisa da cedência de uma parte das ações da empresa para o aportador, por isso é necessário avaliar bem o quanto do negócio você está disposto a abrir mão em troca desses valores.

4. Empréstimo bancário

Uma solução bastante corriqueira, mas que precisa ser bem avaliada devido a alguns riscos, especialmente os juros altos e o prazo para quitar a dívida, é o empréstimo bancário.

Um ponto fundamental para que essa medida seja uma ajuda e não uma futura dor de cabeça é pesquisar no mercado as melhores condições, além de fazer um planejamento financeiro (considerando metas e objetivos) de como esses valores serão empregados para que o retorno possa garantir o pagamento do empréstimo.

5. Programas de apoio a empreendedores

Pequenos empreendedores contam com a facilidade de programas de apoio por parte do governo.

Nessa situação, vantagens como juros mais baixos e maior flexibilidade podem ajudar o negócio a conseguir os valores necessários.

Dentre os mais populares, estão a linha de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e os programas de apoio financeiro da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

6. Incubadoras e aceleradoras de empresas

Incubadoras de empresas são instituições sem fins lucrativos que ajudam, por meio de recursos obtidos junto ao governo, novas empresas a conseguir capital e colocar os projetos em prática.

Além disso, oferecem apoio especializado e, muitas vezes, estrutura física para que o negócio possa se desenvolver.

Um outro modelo parecido, mas advindo de um fundo privado e tendo os lucros futuros como principal requisito para o investimento são as aceleradoras, onde as possibilidades de sucesso do negócio estão atreladas a esse fator.

Por isso, mais do que investir em empresas promissoras, as aceleradoras buscam negócios escaláveis, com vantagem competitiva e que possam trazer um retorno mais rápido.

Quer saber tudo sobre gestão e estratégias de negócios? Assine a nossa newsletter e receba esse conteúdo valioso diretamente no seu e-mail!