A governança corporativa pode ser definida como um sistema que permite que empresas sejam dirigidas, monitoradas e controladas. Com a utilização dos princípios e boas práticas de governança, é possível alinhar interesses e objetivos do negócio, permitindo a sua continuidade.

Neste post, você vai entender como administrar uma empresa aplicando e executando os mecanismos de governança corporativa e usufruindo dos benefícios que ela trará para sua organização. Confira:

Estabelecimento de uma organização hierárquica

Com o crescimento das organizações, é muito comum que existam dificuldades em definir a quem se deve responder. Essa falta de direcionamento no comando, além de prejudicar a própria execução das tarefas, ainda pode comprometer a cobrança por elas, já que o colaborador não sabe a quem se reportar.

Com a implementação da governança corporativa, é possível alinhar, de forma objetiva, tanto a delimitação das tarefas quanto quem fará a supervisão destas, tornando, assim, o processo mais objetivo, seguro e livre de falhas. Além disso, ela ajudará na responsabilização e no reconhecimento de cada indivíduo envolvido nos processos empresariais.

Além disso, a governança corporativa, quando corretamente implementada, permite uma melhor divisão dos poderes entre os tomadores de decisões, não deixando questões importantes limitadas a somente um determinado gestor, gerente ou, até mesmo, ao presidente  que poderá ter um cargo rotativo para evitar possíveis complicações que surgem em decorrência das atribuições e responsabilidades desse cargo de comando.

Formação de conselhos

Um dos pilares da governança corporativa é a formação de conselhos. O Conselho de Administração, por exemplo, será responsável orientação geral e também pela definição de uma estratégia e controle dos planos de execução dos objetivos que foram anteriormente definidos.

De acordo com a estrutura definida e com o modelo de governança corporativa escolhido, esse conselho fará reuniões com o objetivo de desenvolver um estatuto e um regimento interno, que servirão para disciplinar o funcionamento, a execução e o controle das atividades desempenhadas.

Existe também a possibilidade de criação e implementação de um Conselho Consultivo. Menos comum que o Conselho de Administração ou o Fiscal, esse tipo de conselho facilitará a troca de experiências e ideias para que a gestão da empresa possa buscar melhores resultados.

Para que isso ocorra, um bom Conselho Consultivo deve ser formado por profissionais com diferentes expertises e que já possuem uma vasta bagagem de experiência para auxiliar os administradores da empresa em questão.

A frequência dessas reuniões também deverá ser definida de acordo com o modelo de governança escolhido e com a disponibilidade dos membros do conselho. Tanto o Conselho Administrativo quanto o Consultivo possuem a sua importância.

O primeiro deles é utilizado quando a empresa já optou completamente pela implementação da governança. Já o Conselho Consultivo tem a sua implementação recomendada antes mesmo da empresa definir se implementará ou não a governança, já que ele a auxiliará a definir seus objetivos, metas e recursos.

Por fim, o Conselho Fiscal tem como função primordial a fiscalização de ações que são praticadas pelos administradores. Esse conselho formulará uma opinião sobre as demonstrações contábeis, atos e fatos contábeis e legais e outras ações que sejam tomadas pela organização.

As reuniões devem ocorrer com frequência, os assuntos são analisados e os pareceres emitidos. Esses documentos podem ser solicitados a qualquer momento pelos acionistas, sendo mais um instrumento de transparência e controle que a governança corporativa possui.

Implementação de Código de Melhores Práticas

Outra grande possibilidade da governança é a correta implementação e uso do Código de Melhores Práticas. Esse manual que auxilia em todos os aspectos da gestão empresarial foi desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), e permite que sejam colocados em prática todos os princípios da empresa, discutindo a melhor forma de implementá-los para que estejam de acordo com a realidade.

Esse código se divide basicamente em seis capítulos. O primeiro deles é dedicado aos sócios, e o segundo ao Conselho de Administração. Também há destaque para a Gestão, para a Auditoria Independente, para o Conselho Fiscal e normas para conduta e possíveis conflitos de interesse que podem existir na gestão empresarial.

Vantagens da governança corporativa

A implementação da governança corporativa deve ser um processo gradual e, de preferência, com a utilização de serviços especializados que ajudarão a definir quais os objetivos, metas, recursos e até possíveis barreiras para a implementação dela em sua empresa. Quando implementada da forma correta, ela poderá ajudar a empresa, fazendo com com que seu desenvolvimento ocorra de forma saudável e sustentável.

Além de proporcionar melhorias no desempenho da organização, a governança corporativa ainda permite que o acesso a diferentes formas de financiamento seja facilitado, auxiliando a empresa a obter empréstimos com juros mais baixos e de forma mais descomplicada, permitindo uma melhora considerável em suas finanças. A governança também ajuda na melhoria da imagem da corporação não apenas junto ao mercado de acionistas, mas junto a clientes e também a fornecedores, o que beneficia o negócio como um todo.

As boas práticas de governança ainda permitem a diminuição de possíveis abusos de poder que podem ocorrer tanto entre acionistas majoritários e minoritários  ou seja, em empresas de capital aberto —, quanto na relação entre administrador e proprietário, já que minimizam o chamado conflito de agência, que nasce da transferência do poder do dono da empresa para um administrador profissional.

A governança também pode atuar na prevenção e correção de erros estratégicos e que podem ser resultado da concentração de poder na mão de um ou de poucos executivos ou ainda de gestões familiares.

Por fim, destaca-se o uso da governança na prevenção e controle de erros e fraudes que podem acontecer em função de benefício próprio ou devido à falta de definição de manuais e melhores práticas para a resolução de problemas.

Neste post, você compreendeu alguns dos mecanismos da governança corporativa, suas principais características e os benefícios que ela pode trazer para sua organização, seja ela de grande porte ou ainda de gestão familiar. Também foi possível compreender que, para uma correta implementação e uso dos princípios e ferramentas de governança, é preciso definir de maneira precisa qual o ambiente, os objetivos, as metas e os recursos de sua empresa. Isso deve ser feito, preferencialmente, com a utilização de serviços especializados, que, além de otimizar seus recursos, garantem o sucesso desse processo.

Quer ter acesso a mais conteúdo de qualidade? Que tal assinar a nossa newsletter e acompanhar os tópicos mais interessantes da área?