Sua empresa tem em mãos o mapa do tesouro, mas será que ele já foi descoberto? Estamos falando de informações gerenciais, que são a base para decisões rápidas e assertivas. É por deter esse poder estratégico, muitas vezes mal explorado, que todo negócio precisa saber o que é um relatório gerencial e implementar ferramentas para dispor de informações a todo momento.

Gerenciar com excelência, para que a empresa alcance os melhores resultados, não é tarefa simples. Depende de habilidades e conhecimentos, mas também da adoção de um dos tripés mais consolidados das teorias da Administração: processos, pessoas e tecnologia.

Unir esses três fatores, essenciais a uma boa gestão, exige método e experiência, por esse motivo é tão comum que empresas recorram a consultorias externas especializadas. Isso auxilia na realização de diagnóstico empresarial, estabelecimento e adequação de processos, estruturação de projetos estratégicos e implementação de ferramental tecnológico para suportar tudo isso.

O mercado brasileiro é rico em consultorias com boa experiência, e um dos serviços mais valorizados é o de estruturação de relatórios gerenciais, dada sua relevância na (re)definição de rumos do negócio.

O que é um relatório gerencial na prática

Relatórios gerenciais são instrumentos de gestão que permitem previsões, visualização de trajetórias com séries históricas, análise de tendências, e, com essa visão sistêmica, eles contribuem para decisões mais assertivas.

Os insumos são buscados em todos os departamentos da empresa e também no ambiente externo, como em fornecedores, concorrentes e clientes, a partir de tecnologias que extraem, combinam, depuram, cruzam e analisam de forma refinada dados de fontes diversas.

Existem alguns tipos de relatórios indispensáveis às empresas que já entenderam que informações bem trabalhadas e tempestivas fazem toda a diferença na hora de tomar uma decisão. Conheça alguns deles:

Relatório de Vendas

Esse tipo de relatório demonstra o volume de vendas e permite qualificar clientes entre os que mais compram ou os que estão muito tempo sem comprar. Também permite avaliar os produtos, e saber, por exemplo, qual é o mais vendido em determinado período.

Relatório Contábil

O relatório contábil coleta e analisa informações financeiras registradas em demonstrações contábeis, como balanços e fluxos de caixa.

Relatório Orçamentário

O relatório orçamentário traz projeções das contas de receitas e despesas, para que a administração mantenha-se atualizada sobre eventos financeiros que servirão de base para o planejamento de alocação de recursos.

Relatório de Qualidade

Esse tipo de relatório acompanha a evolução de indicadores de qualidade, que medem resultados de inspeções, vistorias e auditorias, especialmente na linha de produção.

Relatório de Produtividade

O relatório de produtividade mensura o desempenho e o emprego do tempo dos colaboradores na entrega de resultados. Com ele, é possível identificar as atividades que mais demandam tempo, permitindo planejar ou realocar o corpo funcional estrategicamente.

Relatório de Custos

Este é focado em eficiência operacional, contribui para decisões que objetivam fazer mais com menos. A gestão de custos é fundamental para o controle e a redução de custos fixos e variáveis.

Relatório de Monitoramento Web

Muitos empreendimentos dependem do marketing nos meios digitais, e é fundamental monitorar o tráfego nos canais da empresa. Com esse relatório, são analisadas informações sobre os visitantes, quantidade de visualizações, além do engajamento do cliente com o conteúdo e a marca.

Todo tipo de organização precisa de inteligência no negócio

É um grande engano considerar que pequenos e médios empreendimentos, franquias, startups ou empresas familiares não precisam investir em instrumentos de gestão. E esse erro decorre da falsa impressão de que o fato de “dominar tudo” o que envolve o negócio é suficiente para que ele ande bem, especialmente em grupos empresariais familiares.

Nesse meio, é comum que as empresas cresçam, e o que deveria ser bom passa a ser um transtorno. Com o crescimento, vêm a desorganização, a defasagem tecnológica, a ausência de processos para cobrir toda a cadeia produtiva, e a fragilidade da tomada de decisão em decorrência da indisponibilidade de métodos e ferramentas de gestão.

Aliado a isso, é realidade de todos os administradores e líderes, independentemente de sua área de atuação e do tamanho da empresa, a falta de tempo para questões não emergenciais. O dia a dia consome suas energias, e seus esforços acabam ficando voltados para “apagar incêndios” mais operacionais.

Nesse cenário, o mais grave reflexo é a falta de uma visão de futuro: quem só cuida do hoje não consegue olhar para o amanhã! E se a empresa deseja crescer e estar em constante evolução, ela precisa: enxergar-se nos próximos anos e se planejar para chegar aonde objetiva; pensar projetos de investimento ou meios para captar recursos para expansão ou projetos focados; aprender a pensar em longo prazo; e começar a ser mais proativa e menos corretiva. Em suma, ela precisa investir em governança corporativa. E, dessa forma, é essencial que ela saiba o que é um relatório gerencial e passe a utilizá-lo para enxergar melhor seu desempenho no mercado.

O valor da governança corporativa

Ser competitiva e ampliar seus resultados são itens que estão sempre entre as metas de um planejamento estratégico de uma empresa.

Por isso é tão relevante ter subsídios para analisar os dados estratégicos com objetividade e se posicionar assertivamente para garantir a sustentabilidade e a prosperidade do negócio. Outros benefícios do investimento em inteligência gerencial e governança corporativa são:

  • Melhor percepção sobre seu lugar no mercado;
  • Gestão de riscos;
  • Alocação de equipes e gestores para o que é realmente valoroso para o negócio;
  • Segurança das informações para a tomada de decisões.

Tudo o que está sendo abordado aqui pertence ao universo da governança corporativa, que prevê a adoção das melhores práticas para conduzir empreendimentos aos níveis mais seguros, transparentes e legais de excelência, que refletem em ganhos, imagem e perenidade do negócio no mercado.

Para cada empresa, existe uma solução de governança adequada às suas necessidades. Não há fórmula pronta para o sucesso, portanto vale a pena investir em estudos de mercado e em autoconhecimento, a partir de diagnósticos que permitam a elaboração de planejamentos eficientes – que, quando materializados, transformarão em realidade os planos de continuidade, retorno financeiro, distinção e perenidade no mercado.

O apoio de uma consultoria especializada

O valor que instrumentos de gestão agregam às empresas já está claro, mas qual o caminho para começar a trilhar para que eles sejam internalizados e comecem a gerar frutos ao negócio?

Tanto empresas que possuem departamentos administrativos e gerenciais quanto as que possuem uma estrutura organizacional menos definida devem considerar a contratação de uma consultoria especializada. Isso porque a expertise de quem atende a todo tipo de necessidade do mercado, com clientes de ramos e portes variados, faz toda a diferença para a abertura de novos horizontes.

Isso não significa terceirizar a gestão, nem depender de um ente externo para executá-la. Trata-se de uma iniciativa de caráter temporário, que perdura apenas enquanto as iniciativas de um projeto estão sendo realizadas e os planejamentos para ações de continuidade estão em elaboração.

O ideal é buscar consultorias que ofereçam a transferência do know-how necessário à perpetuação da cultura e passos de governança corporativa dentro da empresa contratante, por meio de treinamentos e estratégias que permitam a absorção de novas capacidades. É importante que as consultorias foquem também a gestão do conhecimento em suas entregas. Foi-se o tempo em que elas guardavam a sete chaves os segredos dos serviços oferecidos. Hoje a capacidade de transferir conhecimento é um diferencial.

Gostou do conteúdo? Este artigo te ajudou a compreender por que uma empresa precisa ter claro o que é um relatório gerencial? Deixe seu comentário!