Gerenciar uma organização é um desafio diário, mas os gestores de empresas familiares precisam lidar com outros tipos de dilemas. Dificuldades para separar o pessoal do profissional, trabalhar com parentes que nem sempre são os mais qualificados para o cargo e falta de estrutura para tomadas de decisões estratégicas são alguns exemplos. 

Seja ela pequena, média ou grande, empresas familiares precisam da profissionalização para sobreviver e crescer. Caso contrário, a marca construída pelo fundador pode perder valor com uma sucessão mal gerenciada ou por conta de disputas internas. 

Com algumas mudanças na organização é possível aumentar a competitividade e garantir o crescimento contínuo. Veja, abaixo, os principais desafios enfrentados por empresas familiares e as dicas para solucioná-los. 

Problemas pessoais levados para o local de trabalho

Separar o pessoal do profissional em um ambiente de controle familiar é difícil, mas não impossível. Para os funcionários, esse posicionamento é extremamente importante, pois eles esperam que todos tenham as mesmas responsabilidades e não levem problemas da família para a empresa.

Caso contrário, as desavenças familiares podem interferir no dia a dia do negócio. Nesse caso, o ideal é que os problemas pessoais sejam resolvidos fora e todos precisam respeitar esse pacto.

Falta de profissionalização nas empresas familiares

A profissionalização é indispensável para qualquer tipo de empresa, mas nas familiares é ainda mais necessária. Ter uma gestão profissional significa ter ferramentas que auxiliem os processos e as tomadas de decisões.

Para evitar achismos e centralização de tarefas, o ideal é começar com uma análise dos cargos e das funções. Depois, estabelecer metas com métricas claras alinhadas aos processos da companhia. O planejamento estratégico e a atualização do plano de negócios são outras recomendações para profissionalizar a organização.

Desinteresse da família no controle da empresa

Nem sempre as empresas familiares possuem pessoas interessadas em continuar o negócio. Isso pode ser um problema porque o fundador ou herdeiro precisam deixar o controle em algum momento.

Acionar um headhunter para encontrar um executivo ou promover alguém dentro da empresa? Essa questão precisa ser resolvida o quanto antes. Nesses casos, o ideal é buscar uma consultoria que indique o melhor caminho para a empresa. 

Inexistência de preparação para a sucessão

Resolvido o problema de quem irá assumir a gestão do negócio, outro desafio de empresas familiares é a preparação para a sucessão. Nem sempre é feito um planejamento e alinhamento com a equipe. 

Para que a nova geração possa assumir com sucesso é preciso o acompanhamento do atual responsável. O respeito da equipe virá com o tempo, mas a confiança precisa ser conquistada, e isso não pode ser feito da noite para o dia.

Investir em cursos, fazer estágios em diferentes áreas da organização ou até mesmo buscar preparação em outra empresa são atitudes indicadas para que a preparação da sucessão seja bem-sucedida.

Esses e outros dilemas de empresas familiares podem ser resolvidos com planejamento e ferramentas de gestão profissional.

Agora é a chance de se aprofundar nesse assunto: baixe o nosso e-book Guia sobre governança corporativa em empresas familiares e veja um passo a passo para fazer sua organização dar certo.