Na constante busca por competitividade e colocação no mercado, as empresas nacionais encontram uma série de desafios no caminho — principalmente no que diz respeito as estratégias para gestão do negócio.

É justamente nesse contexto que surge o papel do CFO (Chief Financial Officer), um profissional especializado em organizar as finanças e criar um orçamento eficiente. Entender as responsabilidades e contar com o apoio desse tipo de especialista, certamente, são práticas que agregam valor para a empresa.

Pensando nisso, preparamos um artigo com os principais aspectos que envolvem o trabalho de um CFO, analisando a forma com que suas atividades otimizam o desempenho corporativo. Acompanhe e entenda melhor!

Qual a formação necessária para atuar como CFO?

O especialista é capacitado para administrar e direcionar os objetivos, as metas financeiras do período e os orçamentos da empresa. Por se tratar de um cargo de diretoria, é preciso que o profissional tenha experiência prévia em gestão de equipe — em nível sênior.

Além disso, algumas graduações possuem um foco mais alinhado com as responsabilidades do cargo, como finanças, contabilidade, economia ou administração de empresas. Existem diversos CFOs também formados em mestrado, MBA, doutorado ou pós-graduação em áreas de gestão.

Quais são as responsabilidades desse profissional?

As responsabilidades e rotinas dos CFOs vêm mudando bastante nos últimos anos. Originalmente, o papel principal desse profissional girava em torno de, basicamente, produzir e analisar as demonstrações financeiras do ano-calendário corrente.

No entanto, devido à informatização e o avanço tecnológico, os sistemas contábeis passaram a trabalhar de forma automatizada, permitindo direcionar o foco do CFO para questões mais voltadas com a estratégia operacional da instituição. As tarefas que compõem essa função se dividem em quatro funções distintas:

  • estratégia de negócios: aplicação de habilidades contábeis e pensamento crítico para estruturar benefícios financeiros que apontam para a longevidade da empresa;
  • aplicação: andando em conjunto com a responsabilidade anterior, o papel do CFO é estendido a colocar em prática todas as metas que são planejadas;
  • liderança: ser um líder para a equipe, dentro ou fora da empresa. Em outras palavras, ele será responsável por reunir um grupo diversificado de indivíduos talentosos para alcançar um desempenho financeiro superior;
  • relacionamento com terceiros: seja com um investidor ou com um cliente importante, é papel do CFO atestar a capacidade da empresa e seu potencial para gerar lucros.

Como o CFO otimiza o orçamento da empresa?

Com base nessas estratégias e expertise de mercado, o CFO possui total aptidão para analisar o contexto operacional da empresa e buscar métodos para produzir mais com o orçamento disponível. Quando as finanças corporativas são bem estruturadas, sobra mais tempo para alocar recursos no CoreBusiness, ou atividade produtiva.

Sem dúvidas, investir nesse profissional é uma prática que agrega valor ao negócio, principalmente quando o objetivo é alcançar um nível de excelência nas operações.

E então, leitor? Entendeu como o papel do CFO é importante no orçamento e na gestão de uma empresa? Caso tenha gostado do artigo, aproveite para assinar nossa newsletter e receber mais materiais em primeira mão!