Todo o empreendedor ou candidato a empreendedor sabe que, para tirar uma ideia do papel, transformando-a em realidade, ou mesmo para alavancar um negócio já existente, é necessário ter muito planejamento, dedicação e um plano de negócios sólido e bem estruturado. Mas, sobretudo, para fazer um projeto realmente sair do campo das ideias e passar a existir de fato, é imprescindível ter recursos disponíveis para isso.

E esse é, justamente, um dos maiores desafios que um empreendedor enfrenta: como conseguir recursos para a minha empresa? Se essa é uma questão que faz sentido para você, acompanhe o post de hoje. Listamos abaixo, 7 maneiras de captar recursos para o seu negócio. Confira!

1. Capital pessoal

Quase sempre a primeira opção dos empreendedores, contar com o capital pessoal como fonte de recursos para a empresa é bastante vantajoso em alguns sentidos. Como não existem custos de financiamento, nem juros a serem pagos, a empresa inicia suas atividades sem nenhuma dívida, o que é excelente. Além disso, você não terá de repartir os lucros com nenhum investidor, e terá total autonomia de gestão.

Entretanto, dependendo do montante que você tem disponível para investir, isso pode acabar se tornando um empecilho para o crescimento da empresa ou para o desenvolvimento de novas ideias e projetos. Ademais, é necessário avaliar com cuidado quanto do seu patrimônio será investido, assumindo riscos calculados e manejáveis. E nunca é demais lembrar que, além do investimento de abertura, outros serão necessários por, pelo menos, mais dois anos.

2. Familiares e amigos

Captar recursos através de empréstimos tomados com familiares e amigos é uma alternativa utilizada por diversos empreendedores, especialmente aqueles que estão iniciando um negócio próprio. Por ser de negociação mais fácil, com juros mais baixos e prazos estendidos, essa pode ser uma ótima opção para captar recursos.

Porém, é necessário ter cuidado para não acabar estragando relações pessoais que são importantes para você. Apesar de ser baseado na confiança, nunca abra mão de redigir um contrato, especificando o valor investido, os juros que serão praticados e o prazo de pagamento.

3. Instituições financeiras

Pegar um empréstimo com instituições financeiras, como bancos públicos ou privados, é a forma mais tradicional de captar recursos para a sua empresa. Essa é uma maneira segura de conseguir investimentos, pois não há perda de participação acionária nem de autonomia de gestão.

Por outro lado, as taxas de juros praticadas costumam ser bastante altas — apesar de dedutíveis do Imposto de Renda —, e quase sempre há exigência de garantias patrimoniais para que o empréstimo seja formalizado, além de esse tipo de captação de recurso aumentar o risco da empresa no mercado.

4. Linhas de fomento e apoio ao desenvolvimento

Se o seu projeto ou empresa se encaixa no oferecimento de soluções voltadas à saúde, ciência, tecnologia ou inovação, saiba que existem inúmeras linhas de fomento e programas de apoio ao desenvolvimento públicas, que incentivam e financiam projetos voltados a essas áreas. A grande vantagem desse tipo de recurso, é que ele é não-reembolsável, ou seja, você não tem que devolvê-lo acrescido de juros.

Para conseguir esses investimentos, é necessário desenvolver um projeto muito bem embasado e submetê-lo dentro do prazo estipulado. Caso for aprovado, o dinheiro é liberado. Porém, é preciso seguir o cronograma estipulado no projeto adequadamente e fazer a correta prestação de contas, sob pena de ter que devolver todo o valor investido, caso as metas e obrigações não sejam cumpridas com rigor.

Se a sua empresa ou projeto tem potencial para captar esse tipo de recurso, fique atento aos portais das instituições e nos editais ali publicados. O FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), com o programa Subvenção Econômica, e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), através do PIPE, são grandes financiadores dessas iniciativas.

5. Sócio-investidor

Nessa opção, o empreendedor transfere, mediante investimento, parte do negócio a um investidor. Esse investidor pode não interferir em nenhum aspecto da empresa, esperando apenas o retorno financeiro de seu investimento, ou pode atuar ativamente na gestão e na tomada de decisões do negócio.

Uma tendência desse tipo de captação que tem crescido bastante atualmente é o chamado Capital de Risco. Nesse modelo, investidores — Fundos de Capital ou Investidores-Anjo, por exemplo — compram participação em empresas analisadas como promissoras, assumindo responsabilidades em sua gestão.

Contar com um sócio-investidor é uma excelente alternativa para empreendedores de primeira viagem. Isso porque, ao contar com o auxílio de pessoas mais experientes na gestão do negócio, as chances de sucesso aumentam consideravelmente.

6. Financiamento coletivo

Surgido como uma opção de apoio a projetos mais voltados à arte e à cultura, o financiamento coletivo é uma ótima alternativa caso o investimento de que você necessita seja de pequena escala. Esse método funciona como um fundo colaborativo de investimentos, através da publicação da sua ideia ou projeto em plataformas online específicas.

Por meio da plataforma, o empreendedor consegue doações, sem a necessidade de transferir parte de seu negócio. É exigido somente, o pagamento de uma taxa de administração ao administrador do site.

7. Incubadoras e Aceleradoras

As incubadoras e aceleradoras são planejadas e estruturadas com o objetivo de criar um ambiente propício e fomentar a inovação. A diferença entre as duas está, basicamente, em seus modelos de negócio.

Enquanto a incubadora não tem fins lucrativos e destina-se a incentivar projetos através da captação de recursos públicos, a aceleradora é privada, com fins lucrativos, e administrada por investidores que negociam a venda de ações da empresa acelerada.

Existem diversas formas de conseguir recursos para a sua empresa. A escolha pelo melhor tipo de investidor para o seu caso dependerá muito do estágio de maturidade de sua empresa, modelo de negócio e em qual ramo de atuação seu projeto se encaixa. E nunca se esqueça de elaborar um plano de negócios sólido e bem estruturado. Ele é imprescindível na hora de conseguir recursos de qualquer fonte!

Gostou do nosso post? Então não deixe de assinar a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades e conteúdos diretamente em sua caixa de entrada!