Dentre as várias formas de negócio, as empresas familiares ocupam uma considerável fatia de mercado e são muito importantes no cenário econômico de diversos países, não sendo diferente no Brasil.

E, naturalmente, a figura mais importante nesse tipo de gestão é a do fundador, papel que costuma ser ocupado pelo pai, o avô, enfim, algum patriarca ou matriarca da família.

Contudo, o grande complicador é que muitas empresas familiares atuam da forma mais enxuta possível, tanto no que diz respeito aos recursos humanos, como em questão de capital.

Por essa razão, é comum sofrerem com problemas relacionados a sobrecarga de responsabilidades por parte dos colaboradores, finanças pessoais misturadas com as contas da empresa, desorganização e informalidade.

Mas não há nada que um bom planejamento estratégico não possa resolver! Veja como!

O planejamento estratégico em empresas familiares

As empresas familiares precisam estar convencidas de que o mercado é volátil, pode mudar, contrariando as premissas anteriormente consideradas.

E várias organizações de gestão familiar apresentam conflito ao elaborar estratégias e definir as iniciativas  que devem ser implementadas, se mostrando completamente sujeitas às variações ambientais do segmento no qual estão inseridas.

É por isso que essas empresas devem, constantemente, mover esforços no intuito de identificar os pontos fortes e compará-los as demais empresas concorrentes, convertendo os resultados em oportunidades de negócio.

Quer dizer, a tomada de decisão precisa ser rápida e as estratégias compatíveis com o perfil da empresa, mas acompanhando de perto as mudanças contínuas do mercado.

Enfim, seja qual for a vulnerabilidade gerencial, é o planejamento estratégico que resolverá esses problemas, norteando uma administração mais assertiva.

Ferramentas de planejamento estratégico

Nenhum trabalho pode ser executado sem as ferramentas adequadas, e na gestão estratégica não é diferente. A seguir, algumas ferramentas que podem ser utilizadas por empresas familiares para um melhor gerenciamento:

Missão, Visão e Valores

Determinar a Missão, Visão e os Valores é essencial para que as empresas possam nortear e planejar os seus negócios de forma diferenciada, manter os familiares engajados e orgulhosos de seu trabalho.

Essas definições são o ponto de partida do planejamento e devem ser constantemente validadas ao longo da existência da empresa.

Em síntese, é útil pois permite que a empresa reflita sobre o papel que o seu negócio exerce na sociedade e sobre o futuro da organização.

Análise SWOT

A análise SWOT é perfeita para estabelecer um diagnóstico da empresa. Por meio dessa matriz, torna-se possível melhor conhecer a empresa e adquirir um melhor entendimento do contexto externo em que negócio está inserido.

Essa ferramenta proporciona a análise dos pontos fortes (strenghts), fracos (weaknesses), de oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) de um negócio.

Com essas informações em mãos, o empreendedor é capaz de melhor estruturar um plano de ação para minimizar os riscos e potencializar as chances de sucesso da empresa.

Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard, também conhecido como BSC, corresponde a uma metodologia de planejamento estratégico que mantém o monitoramento constante do status de diferentes aspectos da organização, proporcionando um acompanhamento otimizado e interligado entre as áreas.

Em simples palavras, o BSC é completo, modelado em quatro perspectivas (financeira, cliente, processos internos e aprendizagem, crescimento e inovação).

Dessa forma, viabiliza um diagnóstico do desempenho da empresa, propõe a elaboração de metas e a estruturação de planos de ação em caso de desvio.

E então? Como funciona o planejamento estratégico na sua empresa? Utiliza alguma dessas ferramentas? Deixe seu comentário e contribua com essa discussão!