Somente metade das empresas brasileiras passa dos quatro anos de vida. É esse um dado alarmante evidenciado pela pesquisa do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE). Essa informação faz imediatamente criar o questionamento sobre os motivos de fechamento de empresas.

De modo geral, as causas estão ligadas ao contexto externo, não havendo relação direta com uma crise no mercado. Trata-se de problemas de gestão e planejamento.

Quer saber mais? Continue lendo este texto e saiba mais detalhes sobre 3 causas principais que fazem as empresas terem vida curta. Confira!

1. Desconhecimento sobre o mercado de atuação

Um erro comum entre as empresas que fecham é a entrada no mercado sem uma preparação prévia. Começam as atividades da organização sem mesmo fazer um estudo sobre o mercado, deixando de conhecer os hábitos dos clientes, a concorrência e oferta de fornecedores, por exemplo.

Para a empresa sobreviver, é preciso fazer uma pesquisa minuciosa, detalhando todos os processos que se interligam ao empreendimento, tanto interna quanto externamente.

Neste sentido, vale a pena avaliar a qualidade de produto ou serviço que será oferecido, a possibilidade de interesse por parte do público e quem é este público. Desta forma, a empresa tem mais chances de garantir as vendas e vingar.

2. Falta de planejamento

O que, quando, por que e como fazer? Essas perguntas são ignoradas ou razoavelmente respondidas por empresas que fecham as portas. Essas questões são a chave para um planejamento bem feito e que garante o sucesso da empresa em curto e longo prazo.

Sendo assim, é preciso fazer um planejamento estratégico. Definir metas e prazos e principalmente aonde a empresa quer chegar são informações essenciais. Eles vão servir de base, por exemplo, para as tomadas de decisões.

3. Descontrole financeiro

Geralmente, no início de um empreendimento vai ser preciso fazer investimentos. Ou ainda esperar um faturamento menor, sem muita ambição. No entanto, durante essa situação as empresas que fecharam as portas pecaram no descontrole financeiro: os gastos foram maiores do que os lucros.

É preciso ter controle para fazer a empresa vingar. Isto é detalhar, definir e colocar tudo registrado em planilhas. Isso tudo ajuda a acompanhar o fluxo de caixa, tendo total conhecimento dos recebimento e pagamentos da empresa.

Esse processo deve ser diário. A relação de valores a pagar e a receber, custos ocultos, taxas fixos e variáveis, estoque devem estar no planejamento de todo dia de funcionamento da empresa.

Assim, vai ser possível analisar previamente a situação da corporação e realizar projeções. Isso ajuda na definição de novos investimentos e fazer o diagnóstico da saúde financeira da empresa.

Essas foram algumas razões para fechamento de empresas. Se a sua empresa é familiar, é preciso ficar mais atento a esses fatores. Isso porque, se a gestão não for equilibrada e eficiente, pode haver conflito de interesses. Por exemplo na sucessão familiar pode haver desestabilização na tomada de decisões e um possível desvio de foco nos negócios da empresa.

Gostou dessas informações? Fique por dentro de outros assuntos assinando a nossa newsletter!