Não são raros os casos em que familiares têm em comum muito além do sangue. Eles, por exemplo, administram juntos um negócio. Em um primeiro momento, esse pode parecer um cenário fácil. Afinal, é muito mais tranquilo lidar com a família do que com outras pessoas, certo? Nem sempre!

É claro que todos têm como objetivo o crescimento e a consolidação da organização. Mas isso não significa que a convivência será harmoniosa, gerando situações complicadas para o negócio. Inclusive, existem conflitos em empresas familiares que, às vezes, chegam a levar a firma à falência.

Quer saber, então, quais são as principais causas de desentendimentos nesse universo, entendendo como evitá-los? Confira o post abaixo:

Falhas na comunicação

Acredite: a falha na comunicação pode criar inúmeros desastres no trabalho. Em contrapartida, uma comunicação direta, amigável e franca — tanto com os sócios quanto com a equipe — é capaz de alavancar o negócio, uma vez que os colaboradores e alto escalão administrativo vão estar em sintonia.

Por isso, tenha o diálogo como prioridade na empresa, mostrando que está sempre aberto a conversa. Seja com os familiares, seja com os demais integrantes da equipe, ter uma comunicação efetiva é o caminho certo para manter um bom relacionamento e conquistar melhores resultados.

Incompatibilidade de ideias

Outro ponto que pode atrapalhar bastante a gestão de uma empresa familiar é a incompatibilidade de ideias entre os administradores. Enquanto um tem o pensamento conservador, o outro é mais liberal e opta por alternativas inovadores, por exemplo.

Sem um meio termo, eles transformam a empresa em um campo de guerra, acreditando que existirá um vitorioso, sendo que, na verdade, o desfecho dessa história é catastrófico. Afinal, cada um apenas quer mostrar que tem mais razão que o outro.

Não deixe que esse quadro aconteça na sua empresa. Caso perceba alguma divergência de opinião, chame o seu parente e tente resolver a situação. O ideal é chegar em um consenso, ou seja, em um ponto de equilíbrio. Lembre-se de que vocês têm o mesmo propósito, que é a expansão da empresa.

Indefinição de regras

Às vezes, a empresa possui uma infraestrutura de qualidade, colaboradores de destaque e processos bem alinhados, contudo peca quando o assunto envolve regras e parentes.

A gerência, nesse caso, deixa o familiar executar as tarefas livremente. Em outras palavras, as pessoas que têm algum vínculo com o sócio não precisam seguir as diretrizes impostas.

O resultado, como se pode imaginar, é a desorganização empresarial, além de um mal-estar entre os colaboradores, que vão achar que algumas pessoas são favorecidas.

Para que isso não ocorra no empreendimento, não basta apenas estipular normas. É preciso deixar claro que elas são válidas para todos — sem exceção. Essa é a forma de garantir uma gestão mais eficiente.

Rivalidade entre parentes

Essa é mais uma situação que acontece com certa frequência em empresas familiares. As pessoas que atuam juntos no estabelecimento, às vezes, criam atritos e rixas desnecessárias, pois não sabem separar a esfera pessoal da profissional.

O desentendimento e os conflitos, a partir de então, começam a ser uma constante no ambiente de trabalho, afetando tanto o clima organizacional quanto a produtividade das pessoas envolvidas.

Não existe uma fórmula mágica para superar essa questão, mas o primeiro passo é ter em mente que o trabalho não é o local adequado para resolver as pendências pessoais. Além do mais, lembre-se de que cada um tem a sua devida importância na empresa.

Fato é que, para a organização ter sucesso, esses conflitos em empresas familiares precisam ser superados. A extinção dessas desavenças, inclusive, facilitará a gestão do negócio como um todo.

Você já detectou algum desses atritos na sua empresa? Qual foi a sua atitude para resolver a situação? Compartilhe conosco as suas experiências!