Os processos de fusão ou de aquisição corporativas nem sempre são vantajosos. Quando a coisa não é bem-feita, pode trazer sérios prejuízos. Na verdade, cada caso traz suas peculiaridades, e torna-se necessária uma boa avaliação e gestão de riscos — um abalançamento denso, antes de optar pelo fechamento de negócio de fusão ou compra de outra empresa.

Veja o que deve ser avaliado antes de fechar uma aquisição ou fusão, e evite deslizes ou erros de estratégia para seus recursos!

Itens a avaliar

Documentação

Em primeiro lugar, se a empresa tem imóveis ou pontos comerciais é importante conferir se realmente estão no nome da empresa e se os contratos de locação cedem o controle acionário sem incorrer na perda do direito de explorar o ponto.

Caso a empresa tenha créditos, confira se podem ser auferidos legalmente. Se ela dispõe de contratos com fornecedores, confirme as garantias de continuidade de fornecimento.

Dívidas

Se for comprar uma empresa ou fundir-se a ela, é fundamental saber se ela possui dívidas com bancos ou com órgãos governamentais. Confirme se a empresa está em dia com seus impostos ou se pratica sonegação. Faça o cálculo de todos os débitos e confira o saldo devedor.

Processos

Procure saber se a empresa está respondendo a processos por causa de clientes, funcionários ou outras razões. Funcionários costumam abrir processos trabalhistas devido a demissões ou pagamentos inconclusos.

Verifique como andam as relações da empresa com seus funcionários e ex-colaboradores. Se está comprometida com muitas dívidas trabalhistas, considere bem antes de realizar a compra ou a fusão, afinal, processos trabalhistas costumam onerar bastante o capital de uma empresa.

Riscos gerais

Se a empresa está comprometida com obrigações de longo prazo, você deverá, total ou parcialmente, assumi-las. Veja se é compensatório responder por elas. Considere como anda a contabilidade geral da empresa, como problemas no balanço, que indicam mais dificuldade na realização das projeções de caixa.

Escolha o método de avaliação mais viável e relevante (fluxo de caixa descontado ou avaliação patrimonial), pois uma avaliação errada do patrimônio ou das perspectivas do caixa pode ser decisiva para o fracasso da negociação. Elabore o contrato assessorado por profissionais competentes e esteja atento às cláusulas.

A importância de uma consultoria especializada

Procurar uma boa consultoria antes de realizar fusões e aquisições é muito importante para garantir que seu negócio será o melhor possível. A consultoria poderá dar o suporte necessário e avaliar se, realmente, a empresa precisa recorrer a esses expedientes.

Também será possível avaliar as outras empresas, conferindo sua situação e as possibilidades de lucros. Enfim, a consultoria orientará e ajudará na tomada da melhor decisão.

Exemplos de outras empresas

Outra forma de evitar tomar uma decisão errada, é observando exemplos de outras empresas.

Lucros: Ambev (fusão)

Fusão das gigantes Brahma e Antarctica, a Ambev surgiu em julho de 1999 com ativos que valiam cerca de 9 bilhões de reais, como a 5ª maior empresa de bebidas e a 3ª maior cervejaria do mundo. Fabricante de produtos diversificados (refrigerantes, cervejas, águas, chás e isotônicos), ela tornou-se líder do mercado nacional. Suas perspectivas financeiras tendem a melhorar. É importante observar que as duas empresas, antes da fusão, atuavam no mesmo setor no mercado nacional.

Prejuízos: Marisol (aquisições)

Marisol, loja de produtos infantis, não tem tido sucesso em suas aquisições, tanto que se desfez da maior parte delas, conservando somente Pakalolo. Desde 2006, a loja começou a fazer diferentes aquisições, mas todas deram errado: Rosa Chá e Sais (moda praia), Pakalolo (adolescentes), Babysol (bebês) e Stereo (jovens). Depois das aquisições, a Marisol cresceu menos da metade que as concorrentes e, no momento, está se reestruturando. Observe que, apesar de adquirir empresas do mesmo ramo de confecções, o público divergia.

A sua empresa pensa em realizar aquisições ou fusões? Considere as dicas acima, antes de decidir e procure o apoio de uma consultoria especializada. Qual é a sua opinião sobre o assunto? Conte pra gente, nos comentários.