Trabalhar com a sua família tem suas vantagens e desvantagens. Uma empresa familiar é, em grande parte, composta por pessoas de confiança, que você já conhece bem. A renda final é compartilhada pela família, o que beneficia a todos. Porém, muitos negócios desse tipo costumam passar dificuldades financeiras e de organização. Mas por quê?

Uma explicação simples seria a de que os conflitos e dinâmicas familiares quase sempre interferem no funcionamento da empresa. Em outras palavras: trabalhar com os pais, irmãos e/ou filhos afeta o “profissionalismo” de todos. Por isso, é importante estar atento a estes problemas e tentar resolvê-los rapidamente.

Para te ajudar com esta tarefa, trouxemos aqui algumas formas simples de solucionar conflitos comuns em uma empresa familiar. Confira:

1. Faça a separação de finanças

O primeiro e maior problema em um negócio de família é a divisão do dinheiro. Na verdade, é um problema de muitos microempreendedores, que adquire maior escala ao envolver mais pessoas. Quando não há separação entre o orçamento da família e o da empresa, as despesas de um acabam afetando o outro, o que sempre causa desentendimento nas duas frentes.

A primeira coisa que você deve fazer ao estabilizar um negócio é atribuir um salário a cada colaborador, inclusive os donos. O resto dos lucros deve ir para um fundo da empresa, pessoa jurídica, e não ser envolvidos em mais nada além do negócio.

2. Tenha cuidado com os padrões profissionais

Um hábito não muito bom que costuma ocorrer em uma empresa familiar é a contratação de parentes sem classificação. Pode ser bom dar uma oportunidade a quem está começando ou precisando, mas você não pode tolerar um serviço mal feito apenas por isso.

Mesmo que você possa manter um parente na empresa por decisão própria, não diminua as exigências em comparação com o resto da equipe. Além de ser pouco ético, isso pode prejudicar o desenvolvimento profissional do seu parente.

3. Evite misturar os problemas na empresa familiar

É difícil simplesmente “deixar os problemas de casa em casa” ou “os do trabalho no trabalho”. Imagine isso quando os dois ambientes são compostos pelas mesmas pessoas! Mas você ainda terá que aprender a fazer essa distinção.

Não é um problema muito concreto, mas é importante saber lidar com ele. É fácil descontar raiva e frustrações pessoais no ambiente de trabalho, o que diminuir o desempenho de qualquer pessoa. Ao interagir com seus colegas/familiares, tente sempre fazer uma autocrítica, vendo se suas atitudes são para o seu “colega de trabalho” ou para “seu irmão/primo/pai/filho” e evite prejuízos para o gerenciamento.

4. Monte um acordo de regras para todos

A melhor forma de não ultrapassar um limite é estabelecê-lo de antemão. Por isso, ao contratar ou ser contratado para uma empresa de família, sempre estabeleça as regras dessa nova relação. Horários, pagamento, obrigações, quais exigências podem ser feitas e quando (você não interrompe seu trabalho porque alguém te mandou comprar algo na farmácia). Se necessário, escreva tudo em um contrato. Isso pode te poupar muita dor de cabeça.

Agora que você conhece alguns dos obstáculos, está mais perto de ter uma empresa familiar de sucesso. Falando nisso, que tal se aprofundar um pouco mais no tema? Veja aqui os pilares para um negócio familiar de sucesso e fique ainda mais preparado!