A maioria das pessoas entende o termo “empresa” como o local ou o estabelecimento onde uma dada atividade comercial é desenvolvida. Mas, na verdade, o sentido técnico do termo é o de que se trata de uma atividade organizada e estruturada, que visa à produção, circulação ou venda de determinado bem, produto ou serviço. E essa atividade é complexa e não pode ficar à mercê de amadorismo.

Para um negócio ir à frente é necessário que a atividade empresarial seja exercida de modo profissional, responsável e assertivo, elegendo-se as estratégias certas e tomando as ações necessárias.

Mas isso só é possível se o gestor conhecer as principais informações e dados relativos ao seu negócio. É preciso apostar na inteligência empresarial.

No post de hoje vamos falar sobre a importância da inteligência empresarial para o desenvolvimento da organização e como ela funciona na prática. Acompanhe!

O que é inteligência empresarial

A complexidade que marca a atividade econômica exige dos empreendedores o exercício sério e profissional de sua função. Para tanto, é necessário que eles detenham informações relevantes sobre o nicho no qual o seu negócio está inserido e quais as melhores práticas a serem adotadas.

Sem conhecer os principais aspectos e características da sua atividade, corre-se o risco de o negócio ruir e ser sufocado pela concorrência.

A inteligência empresarial consiste no processo de obtenção, seleção e análise das principais informações relativas às tendências, características e desafios dos mercados.

Ela procura estudar o mercado atual e coletar o maior número de informações e dados e usá-los para subsidiar o planejamento estratégico das empresas e a consequente tomada de decisão.

Importância da inteligência empresarial

Segundo informação colhida no site do SEBRAE, milhares de novos empreendimentos surgem no país a cada ano. Mesmo assim, muitos deles não conseguem se manter por muito tempo e terminam fechando as portas antes mesmo de completar o primeiro biênio.

Essa situação serve para demonstrar um fato incontroverso. Muitos empresários brasileiros ainda gerenciam seu negócio de forma amadora e despreparada, sem realizar estudos de mercado, da concorrência e das predileções do público consumidor.

Para que um empreendimento tenha êxito é imprescindível que haja uma gestão estratégica. É necessário antecipar tendências, analisar as empresas concorrentes, fazer pesquisas sobre os melhores investimentos, sobre o público-alvo, melhores fornecedores, etc. Sem isso a gestão se torna cega, vulnerável e entregue à própria sorte.

A inteligência empresarial deve ser exercida sob duplo aspecto. É preciso conhecer as nuances do negócio dentro e fora dele.

Esses monitoramentos internos e externos ajudam na definição das estratégias organizacionais e permitem que elas sejam revistas sempre que necessário. Conhecendo a realidade da empresa, de dentro para fora, é possível antecipar eventos e minimizar os riscos próprios de um mercado cada vez mais competitivo.

A inteligência empresarial, por meio do uso das informações obtidas no processo de análise, vai permitir a realização de mudanças e todos os demais ajustes necessários ao crescimento e desenvolvimento da organização.

Assim, ela consiste em um processo contínuo de obtenção, seleção e uso de informações externas e internas e na certificação da confiabilidade delas. Esses dados podem ser úteis, por exemplo, na tomada de decisão sobre produzir novas mercadorias com base nas preferências dos consumidores, investir em determinado segmento, aumentar as ações de marketing, estabelecer novas parcerias com fornecedores ou com outras empresas, etc.

Inteligência empresarial na prática

A inteligência empresarial pode ser aplicada de diferentes formas. Os gestores e líderes empresariais precisam tomar uma série de decisões diariamente. E as suas escolhas precisam ser assertivas, para evitar problemas futuros ou a perda de boas oportunidades de negócio.

Assim, o conhecimento prévio de informações sobre o panorama econômico e a realidade da própria empresa (suas forças e fraquezas) possibilitará a adoção de estratégias para o desenvolvimento do negócio, bem como para fortalecimento da marca e para a melhoria do resultado financeiro.

A inteligência empresarial ou de mercado também é essencial para o processo de precificação, que nada mais é que a fixação do custo final do produto, observando-se variáveis como qualidade, exigências do mercado consumidor e competitividade.

Benefícios da inteligência empresarial

Existem muitas vantagens do uso da inteligência de mercado, mas a principais delas são as seguintes:

Subsidiar o planejamento estratégico

A inteligência empresarial ou de mercado, dentre as muitas finalidades que busca, tem a função de servir de base para a definição de estratégias que impulsionem o negócio.

Os dados colhidos tanto podem ser de natureza quantitativa, como qualitativa. Ambos são essenciais para o sucesso do plano estratégico do empreendimento. Essas informações podem ser medidas e comparadas usando-se métricas e indicadores adequados. É possível medir o nível de qualidade dos mais diferentes dados (clientes, produtos, concorrência e outros fatores relevantes).

Esse controle serve para tornar o planejamento ainda mais seguro e direcionado aos objetivos e metas empresariais.

Permitir a antecipação de ações

Por meio da inteligência empresarial também é possível que o gestor antecipe ações, assumindo uma postura mais proativa e evitando tornar-se reativo aos problemas do dia a dia. A complexidade da economia reclama o preparo antecipado e o oferecimento de soluções rápidas às demandas surgidas. Sem isso, a empresa corre o risco de sucumbir aos concorrentes.

Fazer previsões mais seguras

Analisando o cenário comercial no qual a empresa está inserida, coletando dados e procedendo-se a estudos comparativos, é possível que o gestor faça previsões mais seguras e tome atitudes originais para resolver os problemas que surgirem. O conhecimento antecipado da realidade também permite mais agilidade e aprimora a capacidade de tomar medidas preventivas para garantir a integridade do negócio diante de possíveis dificuldades.

Gestão eficaz dos riscos

Como ela consiste no processo de obtenção, análise e utilização tática dos dados encontrados, a inteligência empresarial ajuda na gestão eficaz dos riscos organizacionais, sejam eles negativos (ameaças), sejam eles positivos (oportunidades).

Assim, ela proporciona a adoção de estratégias compatíveis com as mudanças externas (decorrentes de ações do governo, economia e estrutura de mercado) e com as mudanças internas (perda de talentos, mudança na estrutura de setores, incremento ou decréscimo nas vendas, etc.).

A inteligência empresarial é um assunto cada vez mais recorrente no dia a dia das empresas. Para ampliar seus resultados, fazer uma melhor gestão dos riscos, fortalecer-se frente à concorrência, etc., o certo é que a atividade empresarial é complexa e, como tal, precisa ser exercida com profissionalismo e seriedade. Assim, o sucesso estará logo adiante, na próxima curva do caminho.

Gostou do nosso artigo? Então assine a nossa newsletter e receba periodicamente mais conteúdos como esse!