Várias empresas almejam transformar um projeto inovador em realidade, mas ter em mãos o capital necessário muitas vezes é o maior problema. Nos mercados internacionais, há décadas existem incentivos para os empreendimentos e, no Brasil, a modalidade de investidores-anjo tem crescido consideravelmente. No entanto, o que é um investidor-anjo?

Atualmente, esse termo corresponde a investimentos realizados por pessoas físicas para apoiar o empresário, não só com capital financeiro, mas também com atividade intelectual, experiência e conhecimento.

No post de hoje vamos explicar o que é exatamente um investidor-anjo. Então, continue lendo!

O porquê do termo investidor-anjo

Esse nome foi criado em 1920 para se referir aos patronos no setor do teatro, os quais bancavam os custos de produção na Broadway.

Dessa forma, um indivíduo que faz investimento em algum negócio no período inicial e aceita o ônus dele é como um “anjo da guarda”. Daí o termo de investidor-anjo.

Atuação de um investidor-anjo

Por terem conhecimento e experiência no ramo empresarial, eles são fundamentais para o sucesso do empreendimento, visto que, além do incentivo financeiro, agregam conhecimento e atraem possíveis novos investidores.

Com isso, a experiência de um investidor-anjo pode muito bem ultrapassar o valor do capital incentivado, uma vez que ele auxilia o novo empresário a evitar falhas que ele cometeria sem a sua ajuda.

Apesar de o investidor-anjo ter uma pequena participação na sociedade em que investiu, sua meta é desenvolver o negócio, porque quanto mais a empresa evoluir, melhor também será o seu retorno.

Assim, o investimento é para que a empresa cresça, não apenas visando seu lucro posterior, mas que isso seja uma das consequências do capital injetado.

Além disso, é essencial que o investidor esteja junto ao empreendedor, no sentido de que ocorra transparência e de que suas expectativas sejam mútuas, a fim de guiá-lo nesse momento de crescimento do negócio.

Características para atrair um investidor-anjo

Para que um negócio atraia a atenção de um investidor-anjo, ele precisa ser inovador, ter um mercado amplo, escalabilidade e um empresário engajado.

A inovação proporciona o potencial desenvolvimento do negócio, por meio de algo diferente, não necessariamente criando alguma coisa. O mercado amplo é ter um público efetivo, que não seja limitado. Escalabilidade significa o potencial do negócio crescer. Por fim, ter um empreendedor engajado é essencial para o negócio dar certo. Isso porque, se ele conseguir realizar suas metas, será mais valorizado do que aquele que tenha uma ideia fantástica, mas não desenvolve um plano de implementação.

Quando um investidor-anjo entra em cena?

Ele entra em cena na fase em que a empresa já tem alguma meta definida. Após sua entrada, o investidor acompanha todos os processos iniciais até a inserção do empreendimento no mercado. Depois, de acordo com o desenvolvimento do negócio, acontece a captação de mais investidores.

Dessa forma, com o seu papel fundamental e uma participação societária minoritária, o investidor-anjo atua como conselheiro e orienta os empresários nas suas decisões estratégicas, melhorando suas chances de sucesso, bem como acelerando o seu desenvolvimento.

E aí, gostou do nosso post sobre o que é um investidor-anjo? Assine a nossa newsletter e fique por dentro deste e de outros assuntos!