Toda empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, precisa de recursos financeiros para se manter. Por isso, é tão importante conhecer as principais formas de captação de recursos para seu negócio.

Neste post, vamos mostrar para você as 5 maneiras mais utilizadas no mercado para buscar capital. Mas, antes disso, você vai entender melhor o que é exatamente a captação de recursos e qual seu papel dentro de uma organização. Confira!

Saiba o que é a captação de recursos e para que ela serve

Captar recursos nada mais é do que buscar aportes financeiros que serão injetados no caixa de uma empresa. O conceito é simples, mas a tarefa em si precisa ser muito bem pensada e executada para que não se torne uma dor de cabeça mais para frente.

Quando um tomador de decisão procura capital de terceiros para aplicar no seu negócio, ele precisa entender qual a real necessidade daquele dinheiro. É preciso planejar em que exatamente, dentro da empresa, os recursos serão investidos.

Além disso, é fundamental que sejam analisadas diferentes formas de captação de recursos. Esse estudo fará com que a melhor decisão seja tomada de acordo com o perfil da empresa, suas necessidades e particularidades.

A captação de recursos pode ter diversas aplicabilidades dentro do negócio. Quando o fluxo de caixa não está saudável, esse dinheiro pode ser empregado, por exemplo, como capital de giro.

Já para uma empresa que está com o controle financeiro em dia, o capital pode servir de investimento para expansão da organização, abertura de filiais, aquisição de maquinário e outros equipamentos modernos.

Mas, vale reforçar que é essencial examinar quais são os tipos de captação de recursos existentes no mercado, para então definir qual é a melhor opção para garantir a viabilização dos planos da empresa.

Conheça 5 formas de captação de recursos

A fim de deixá-lo bem informado quanto às formas de captação de recursos que você pode optar, vamos falar aqui sobre as 5 principais alternativas de conseguir o financiamento que você busca. Veja!

1. Investimento anjo

A disseminação da figura do investidor anjo vem aumentando no Brasil, devido ao boom das startups e das incubadoras que as auxiliam nesse processo. Porém, podemos dizer que esse tipo de investimento ainda não é o mais procurado pelos empresários brasileiros.

Mas, como já diz o próprio nome, o investidor anjo pode ser uma grande ajuda para o seu negócio. Ele é uma pessoa física ou um fundo de investimento que capitaliza empresas que considera ter alto potencial de crescimento e geração de caixa.

Comumente, não é só esse o papel do investidor anjo. Ele também costuma ser um profissional com largo conhecimento de mercado, que contribuirá com sua expertise e sua rede de contatos para alavancar a empresa.

2. Sócio investidor

Caso o dono da empresa não tenha nenhum tipo de apego emocional ou outra ressalva em vender parte do seu negócio em troca de recursos financeiros para injetar na empresa, essa pode ser uma ótima forma de captação de recursos.

Funciona da seguinte forma: o empreendedor passa parte da empresa para o sócio investidor em troca de determinada quantia. Depois, quando o caixa da organização receber o retorno desse investimento, o lucro é dividido entre os donos do negócio.

Existem dois tipos de sócio investidor. Há o que apenas faz o aporte financeiro e aguarda a empresa conseguir o retorno sobre o capital investidor. Já o segundo tipo se envolve na gestão empresarial, contribuindo com o seu know-how para tomadas de decisões do negócio.

3. Empréstimos

O primeiro passo aqui é avaliar cuidadosamente a real necessidade do empréstimo. Muitas vezes, ao adequar os controles de gastos de forma mais eficiente, você já consegue dar fôlego financeiro ao seu negócio.

Caso você já tenha revisto as despesas da empresa e ao final da sua análise identificou que, de fato, um aporte financeiro é necessário, está na hora de buscar alternativas no mercado.

Para isso, tenha em mãos alguns números importantes:

  • a quantia exata que você precisa;

  • o valor mensal que o caixa da sua empresa poderá arcar para o pagamento desse empréstimo;

  • o prazo em que você poderá quitar a dívida.

Faça uma análise minuciosa de todas as opções de linhas de crédito disponíveis em diferentes instituições financeiras para poder optar pela mais vantajosa.

4. Aporte governamental

A principal forma de captação de recursos públicos procurada pelos empresários é por meio do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). Isso acontece porque a maior parte dos cerca de R$ 200 bilhões que o governo disponibiliza anualmente para financiamento de projetos acaba sendo alocado no BNDES.

Mas também existem outros bancos de desenvolvimento regionais, como Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste do Brasil, que também oferecem linhas de crédito empresariais.

A principal vantagem aqui é que as taxas de juros dos empréstimos são subsidiadas. Isso significa que ficam em um patamar bem abaixo do praticado pelo mercado, quase sempre próximas ou até mesmo abaixo do índice de inflação.

5. Venture Capital

Essa é uma solução que se encaixa no perfil de pequenas e médias empresas. Fundos de investimento de Venture Capital são investidores que estão acostumados a trabalharem com cenário de risco. Aliás, a tradução de Venture Capital é justamente Capital de Risco.

Normalmente acabam por optar pelos negócios que já têm um faturamento considerado expressivo, mas que se encontram em uma fase de necessidade de expansão de suas operações.

O importante para conseguir atrair recursos por meio desse tipo de investidor é ter um produto ou serviço bem posicionado e validado no mercado.

Fundos de investimento de Venture Capital optam pelo risco, pois ele proporciona um alto retorno dos recursos aportados quando comparados a outros tipos de investimentos tradicionais.

Para sua empresa conseguir captar recursos por meio de VC, é primordial que você desenvolva uma apresentação detalhada da sua empresa, mostrando qual seu nicho de negócio, sua forma de atuação, seu fluxo financeiro, além de outras informações que sejam relevantes.

Agora que você já conhece as principais formas de captação de recursos, aproveite para conferir mais um de nossos posts — Captação de Recursos Financeiros e Plano de Negócios: entenda a relação — e continue aprendendo!