Atualmente, podemos notar que o tema da governança corporativa tem ganhado cada vez mais espaço nas organizações. E para alguns, o assunto pode parecer muito complexo e burocrático, que deve ser aplicado somente a grandes empresas.

Mas a verdade é que a governança corporativa tem ganhado cara vez mais espaço em médias e pequenas empresas, e até mesmo em Startups. Isso porque ela garante uma série de benefícios para a gestão do negócio e passa muito mais confiança para os administradores, sócios e investidores. 

Mas afinal, o que é Governança Corporativa?

A Governança Corporativa é um termo que diz respeito à maneira como as empresas são administradas. Sua função é garantir a transparência na gestão do negócio, reduzindo riscos para os investidores e envolvendo os principais stakeholders nas decisões estratégicas.

A Governança Corporativa tem grande aplicação em empresas cujos sócios não fazem parte do dia a dia da organização. E isso acontece quando a empresa possui um ou mais investidores, ou em empresas familiares, quando seus líderes fazem a sucessão da gestão do negócio, mas continuam no conselho administrativo.

Nesses casos, a Governança Corporativa garante aos investidores e aos membros do conselho que os atuais gestores irão cumprir com as diretrizes definidas nas reuniões de Governança. A Governança Corporativa vai definir, por exemplo, qual a função de cada um dos sócios dentro da organização, e quais as atribuições e os limites dos atuais gestores.

E a Governança Corporativa também realiza um trabalho junto à controladoria para otimizar relatórios gerenciais que garantam uma correta prestação de contas entre todos os envolvidos, que terão insumos suficientes para avaliar o desempenho do negócio, analisar relatórios, definir as próximas estratégias e rever o orçamento de curto, médio e longo prazo.

Quais as vantagens da Governança Corporativa?

O maior medo de algumas empresas na aplicação da Governança Corporativa é o quanto ela pode tornar os processos burocráticos. Mas, quando bem aplicada, ela só traz benefícios — tanto para a empresa quanto para todos os demais responsáveis, como:

Garante profissionalização

Principalmente empresas que nascem pequenas e crescem rapidamente, como o caso de algumas Startups, nem sempre seus gestores estão preparados para enfrentar sozinhos o desafio de gerir um negócio. 

Nesse sentido, a Governança Corporativa envolve mais pessoas nas decisões estratégicas. Investidores costumam destinar um profissional experiente para ser um apoio aos empreendedores, que terão muito mais confiança na tomada de decisão.

Facilita processos de sucessão

O processo de sucessão de uma empresa pode ser doloroso, principalmente em empresas familiares, e sempre preocupa sócios e investidores. Quando há um processo adequado de Governança Corporativa, no entanto, há uma garantia aos responsáveis de que a nova liderança irá seguir o caminho já definido, minimizando os riscos de impacto de uma possível queda na qualidade dos novos líderes.

Evita fraudes

Faz parte do processo de Governança Corporativa a prestação de contas junto ao conselho, com auditorias periódicas dos seus principais envolvidos. Dessa forma, os sócios e investidores terão uma maior tranquilidade quanto ao risco de uma possível fraude ou má uso dos recursos aplicados na empresa.

Garante transparência

Uma das principais características da Governança Corporativa está na transparência na gestão do negócio. Os gestores devem sempre ser francos em relação a todos os aspectos do dia a dia da empresa para que possa ter uma sinergia entre os envolvidos, e que as novas ações sejam definidas com clareza.

Conquista vantagem competitiva

Uma reunião de conselho dentro de um processo de Governança Corporativa costuma envolver pessoas com conhecimento de finanças, liderança e estratégia de negócios. Quanto mais “cabeças” capacitadas pensando estratégias em prol de um negócio, mais ideias novas e oportunidades podem surgir, garantindo a organização uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes.

Então, gostou deste artigo? Entenda também as diferenças entre os diferentes modelos de governança corporativa!