Motivação de funcionários é um tema atual que vem sendo amplamente debatido nas empresas. Afinal de contas, com as pressões do mercado e o ambiente corporativo cada vez mais concorrido, manter os colaboradores motivados passou a ser prioridade para as organizações.

Quer saber como a gestão da empresa pode influenciar neste aspecto? Continue com a leitura!

Quanto mais motivação, mais resultados

Antigamente, o rendimento dos funcionários estava ligado basicamente às questões técnicas. Bons funcionários, com muitos conhecimentos, naturalmente traziam resultados positivos para a instituição. O que se passava em suas vidas pessoais não era pauta para os gestores.

Hoje em dia, esta fase está superada. A motivação entrou em pauta e, para além das competências técnicas, assumiu papel importante na produtividade dos funcionários e, consequentemente, na da empresa.

Funcionários motivados, satisfeitos com o seu trabalho e com a sua condição pessoal são mais capazes de trazer soluções e conduzir bons projetos.

Motivação que vem de dentro

Ao contrário do que se pensa normalmente, a motivação é um fenômeno de dentro para fora. Isso quer dizer que é o próprio colaborador que precisa encontrar motivação naquilo que mais lhe diz respeito.

Mas os gestores e as empresas podem encurtar este caminho. Oferecer boas condições de trabalho, remuneração adequada e desafios instigantes estão entre as principais receitas para ajudar o funcionário na busca pela motivação.

Veja alguns exemplos:

1. Metas desafiadoras

Mais do que dinheiro, as pessoas buscam um trabalho que as desafie e que as tire da zona de conforto. E esse desejo vai de encontro aos anseios do mercado, que também exige soluções criativas o tempo todo.

Principalmente as gerações mais novas gostam de trabalhos que agreguem valor às suas carreiras. Ao menor sinal de rotina, a desmotivação pode aparecer e a queda na produtividade é inevitável.

2. Remuneração

Não se assuste pensando que, para auxiliar um funcionário a encontrar motivação, é preciso incrementar a folha de pagamento da empresa além da conta.

Por outro lado, o contrário pode ser uma armadilha. Funcionários que descobrem que ganham muito menos do que outros colegas de profissão acabam se desmotivando rapidamente.

Como gestor, procure encontrar uma maneira de investir em um plano salarial que seja, no mínimo, compatível com o que se pratica no mercado.

3. Autonomia

As lideranças já não são mais legitimadas apenas pela posição no organograma. As teorias modernas acreditam, com razão, que os líderes atuais surgem no meio das equipes, por apresentarem características pessoais específicas.

Esses traços devem ser incentivados, já que geralmente essas lideranças costumam ser mais efetivas na influência que exercem sobre as equipes. Isso é traduzido em mais motivação para todos e melhores resultados para a empresa.

Como você viu, não existe milagre quando o tema é motivação de funcionários. Como gestor, você precisa estar atento às tendências em termos de carreira, conhecer bem o perfil de cada um dos membros da sua equipe e incentivá-los da maneira mais adequada. Dessa forma, os resultados não vão demorar a aparecer.

Caso tenha gostado deste conteúdo, que tal se aprofundar mais? Aproveite para ler um pouco sobre como a liderança e a comunicação são dois processos que caminham juntos!