Cuidar da saúde financeira de sua empresa é fundamental para uma boa gestão. Uma empresa saudável financeiramente é uma empresa que está preparada para crescer, para enfrentar os desafios e superar os obstáculos que aparecem devido à competitividade, às crises econômicas e à inadimplência ou insolvência de clientes.

Conheça agora um pouco mais sobre gestão de riscos de crédito, e veja como o procedimento pode, de fato, salvar uma empresa da falência!

Risco de crédito

O risco de crédito se refere à possibilidade de uma empresa não receber/receber em atraso o pagamento de uma venda efetuada a um cliente por causa da insolvência/inadimplência. A inadimplência é um fato difícil de ser evitado, mas pode e deve ser controlado e prevenido pela análise de crédito. Quanto à insolvência, uma política de crédito bem direcionada pode evitar perdas definitivas, eliminando de sua base de dados os clientes que não gostam de pagar.

Diferenciar os diferentes tipos de cliente

A política de crédito eficiente visa melhorar o relacionamento financeiro da empresa com o cliente. Para isso, é necessário identificar os tipos de cliente que compram na loja:

  • Baixo risco (que são pontuais em seus pagamentos e dificilmente geram prejuízos para a empresa);
  • Inadimplentes (que atrasam pagamentos, mas pagam);
  • Insolventes (que não pagam).

Fatores importantes na gestão de riscos de crédito

Inadimplência e insolvência repercutem de forma diferente na empresa. Ambas afetam negativamente o fluxo de caixa, contudo a inadimplência pode ser manipulada de modo a compensar as perdas e trazer lucros para o negócio: isso por causa dos juros cobrados em compras financiadas (os juros possibilitam que a empresa receba um valor superior ao estipulado originalmente para o produto). A insolvência, por sua vez, representa a perda definitiva, o que implica em prejuízo para a empresa e, muitas vezes, na necessidade de financiamento de capital de giro em bancos.

Para controlar e reduzir o risco de crédito deve-se seguir alguns procedimentos antes de fechar negócio e durante o prazo de pagamento:

  • Análise de crédito, com consulta ao SPC, Serasa e outras entidades;
  • Peça garantias para assegurar o pagamento (avalista, entrada em dinheiro, penhor de um bem);
  • Taxa de juros pode ser uma aliada
  • Controle dos atrasos (planilha atualizada com total da dívida, valor não vencido, valor vencido);
  • Negociação da dívida (procure negociar as melhores formas de receber o pagamento);
  • Estratégias para transformar o potencial insolvente em inadimplente e este em cliente de baixo risco (tentativas de negociação e recursos jurídicos são formas muito utilizadas por algumas lojas).

Estratégias de cobrança

É bom estabelecer um plano de cobrança para aplicar nos casos de inadimplência. Siga os passos a seguir, sugeridos pelo Manual de Cobrança do Sebrae:

  • Envie uma carta registrada com aviso de recebimento, dando o prazo de uma semana para liquidação da dívida, alertando o cliente para a possibilidade de recorrer à justiça;
  • Suspenda o fornecimento e contate o fiador, notificando-o sobre a situação;
  • Divulgue o mau procedimento do devedor no mercado;
  • Pressione, enviando funcionários ao cliente para pedir explicações;
  • Recorra ao seu advogado e peça que ele interceda junto ao cliente;
  • Proteste as dívidas no cartório;
  • Tome todas as ações necessárias (execução de garantias, responsabilização dos fiadores, pedido de falência, execução da dívida e assim por diante).

Procure consultoria                                

Em tempos de crise econômica, a gestão de riscos de crédito torna-se mais necessária ainda, de forma a evitar que os prejuízos e as possibilidades de falência sejam maiores. Outra importante recomendação é procurar consultoria especializada, que orientará a empresa a elaborar um plano de cobrança e fazer uma gestão de riscos mais eficiente, fornecendo diretrizes a serem seguidas.

Como está fazendo a sua gestão de riscos de crédito? Está obtendo resultados positivos? Deixe seu comentário.