Infelizmente, muitos empreendedores ainda encaram a contabilidade como uma coisa de outro mundo. Acontece que as informações obtidas por meio das demonstrações contábeis são fundamentais para melhorar a tomada de decisão e o planejamento estratégico. Por isso, é bom abandonar o preconceito e começar a levar o assunto a sério.

Hoje, resolvemos desmistificar uma das demonstrações contábeis mais fundamentais para a contabilidade: o balanço patrimonial. Você vai aprender tudo o que precisa saber sobre essa importante ferramenta. Confira logo a seguir!

O que é o balanço patrimonial?

Como vimos, o balanço patrimonial é uma das demonstrações contábeis mais fundamentais, pois tem como objetivo evidenciar a posição patrimonial e financeira do negócio em determinada data. Muitos dizem que ele funciona como uma verdadeira fotografia da situação da empresa, pois, ao contrário de outras demonstrações, representa o patrimônio de maneira qualitativa e quantitativa.

Basicamente, o balanço é composto pelo ativo, passivo e patrimônio líquido. Vamos conferir o que cada um desses elementos representam?

Ativo

É composto pelos bens, direitos e aplicações de recursos controlados pela entidade. Uma definição comum de ativo é que eles devem ser capazes de gerar benefícios econômicos futuros, originado de eventos ocorridos;

Passivo

Se os ativos são os bens e direitos, no passivo nós temos as obrigações da empresa para com terceiros, como os empréstimos. Basicamente, estamos falando da origem dos recursos já mencionados por nós anteriormente. São o resultado dos eventos ocorridos e necessitam dos ativos para a sua liquidação;

Patrimônio Líquido

De uma forma bem resumida, podemos dizer que o patrimônio líquido é a diferença entre o ativo e o passivo, mas, na verdade, se trata dos recursos da própria empresa.

Como realizar o balanço patrimonial?

Existe uma fórmula conhecida como a equação fundamental da contabilidade, que nos ajuda a calcular o balanço patrimonial, vamos acompanhá-la?

Ativo = Patrimônio Líquido + Passivo

Bom, esse é o básico, certo? Mas o que buscamos ao realizar esse tipo de cálculo? São três as situações que podem ser reveladas, e é importante ficar atento a elas na hora de fazer a avaliação do seu negócio. Vamos conferir cada uma delas?

Ativo maior que o passivo

Essa é o cenário encontrado quando a situação líquida do negócio é positiva, ou seja, os ativos são capazes de solver completamente as obrigações presentes no passivo do negócio. Certamente, o empreendedor quer se enquadrar nesse tipo de situação.

Ativo menor que o passivo

Essa situação, por outro lado, é conhecida como situação líquida negativa, afinal, os valores presentes no ativo, isto é, os direitos e os bens, não são suficientes para liquidar com as nossas obrigações no passivo. Nesse cenário, devemos lançar a diferença como prejuízo ao exercício no patrimônio líquido. A situação líquida negativa também é conhecida como passivo a descoberto.

Ativo igual ao passivo

Por fim, nossa última situação é aquela onde os bens e direitos se igualam às obrigações. É a situação líquida nula. Evidentemente, esse tipo de cenário é raro, mas pode ocorrer no momento de abertura de determinado negócio, por exemplo.

Gostou das nossas dicas sobre o balanço patrimonial? Ficou com alguma dúvida? Então deixe o seu comentário!