Muitas empresas que iniciaram seus negócios há algum tempo passam pela necessidade de realizar a sucessão empresarial familiar, mas nem sempre esse processo é fácil. Estatísticas apontam que do total das organizações familiares ativas, somente um terço delas consegue continuar gerando lucros na segunda geração e apenas 15% chegam até a terceira.

O cenário descrito acima pode ser explicado pela falta de planejamento e outros problemas muito comuns que ocorrem nesse período.

Nesse post, vamos dar algumas dicas para evitar que ocorram transtornos durante esse período.

Processo de sucessão empresarial familiar

Normalmente surge a necessidade de sucessão familiar quando o proprietário da empresa precisa se afastar dos negócios em virtude de doença, aposentadoria ou melhoria de qualidade de vida.

Nesse período, a gestão da empresa passa para os filhos, por meio da transferência de experiência, autoridade, liderança e poder de tomada de decisão de uma geração para a outra.

Com a finalização da sucessão empresarial familiar, os filhos assumem o comando da empresa e, no final do processo, o fundador acaba tornando-se um conselheiro, trabalhando suas habilidades de avaliar e tomar decisões sem fazer parte da rotina dos negócios.

Planejamento estratégico da sucessão

A primeira dica para evitar problemas de sucessão empresarial familiar é promover um planejamento estratégico de modo a evitar problemas a curto e longo prazo.

Neste documento, devem constar os nomes dos sucessores e as funções de cada um, os fluxos e atitudes que devem ser tomadas para a administração de conflitos e a delegação de responsabilidades para cada colaborador da empresa.

Além disso, é fundamental reafirmar a cultura organizacional com a missão, visão e valores e os códigos de conduta para que os sucessores caminhem na direção correta.

Capacitação dos sucessores

A preparação adequada dos novos gestores será determinante no sucesso de continuidade do empreendimento. Após o planejamento de sucessão, será necessário identificar as habilidades e competências de cada gestor e de que maneira ela pode ser desenvolvida.

Vale ressaltar que nessa capacitação não entram apenas os conhecimentos técnicos, mas também as habilidades de liderança,  de criatividade e comportamentais.

Questões legais

É importante analisar também a questão da sucessão empresarial familiar sob a perspectiva jurídica, isso porque ela pode ocorrer de maneira formalizada ou não. Para tanto, basta que se tenham provas de que houve a transferência de responsabilidades tributárias, por exemplo, o que já se configura como sucessão.

Nesses casos, é importante observar toda a documentação da empresa junto às autoridades competentes, de modo a evitar futuros problemas legais.

Auxílio de consultoria especializada para profissionalização

Para melhorar os resultados da empresa, é necessário que haja profissionalização de seus processos e, para isso, os novos sucessores precisam fortalecer o nível de comprometimento das pessoas.

Para facilitar esses processos, de modo que a sucessão não seja tão problemática, é fundamental contar com o apoio de consultorias especializadas em assuntos relacionados a finanças estratégicas, governança corporativa, processos e produção e comercial e marketing, que são os principais.

Tais consultorias, além de fornecerem auxílio aos novos gestores, para que conduzam melhor os processos, permitem que os processos sejam profissionalizados e os impactos da sucessão empresarial familiar para os demais membros da organização não sejam tão impactantes, mas fluam naturalmente.

Quer saber mais sobre sucessão empresarial? Baixe aqui o e-book que fala sobre os principais erros.

 
Open modal